sábado, 7 de janeiro de 2017

Analista de Sistemas cria réplica do robô R2-D2



(Foto: Eraldo Pereira)
O Analista de Sistemas, Humberto Gadelha, construiu uma versão em tamanho real do robô R2-D2, com uma tentativa de participar de uma feira de tecnologia, promovida pela faculdade onde ele estudava, e a sugestão de reproduzir o famoso robô veio de alguém muito especial.

“Quem me deu a ideia de montar foi a minha esposa, que, na época, era minha noiva. Eu estava nesse primeiro trabalho, em 2012, de participar da mostra que tinha na faculdade. Ia fazer sobre visão computacional, que é reconhecimento de rosto, cor, movimento, e eu queria alguma coisa que chamasse a atenção. Levei uma semana pesquisando e vi que dava para fazer”, relembra Humberto. 

Porém, o tempo entre o planejamento e a execução acabou sendo maior que o esperado, e foi preciso esperar três anos até que o R2-D2, de fato, surgisse. “Em 2012, deu tudo errado e eu não consegui terminar. Um ano depois, nessa mesma mostra, eu tentei de novo, mas, dessa vez, eu não estava realmente pressionado a terminar e não consegui de novo”, afirma, revelando que, quando enfim ficou pronto, o robozinho chegou a ser cogitado para um papel importante na vida dele.

Humberto, publicou uma imagem de sua criatura no Facebook e em alguns grupos de fanáticos por robótica e por Star Wars. Sem muita repercussão, o R2-D2 manauara ganhou uma sessão de fotos em um dos cartões-postais da cidade, a Ponta Negra, e então virou febre. “Eu publiquei algumas fotos que tinha tirado na Ponta Negra, que tiveram mais de 100 curtidas e apareceram em alguns blogs. 

A partir daí, uma das pessoas que organizou o Carnanerd (evento cultural realizado no carnaval), entrou em contato comigo, perguntando se eu podia levá-lo no dia do evento. Eu levei e, lá, acabei dando uma entrevista para o site Mapingua Nerd, e a partir daí viralizou”, conta Humberto.

 “Eu estava demorando para conseguir fazê-lo andar. Ele andava, mas dava uma travada, alguns problemas técnicos. Quando eu, finalmente, consegui corrigir, resolvi fazer um teste. A primeira vez foi no Largo, durante o carnaval”, relembra. “Como estava tendo uma banda ali perto, não tinha quase ninguém em volta do teatro. Mas o robô acabou chamando bastante atenção de quem passava, principalmente crianças. Teve uma que eu achei muito engraçado, que disse que ele era muito bonito”, completa.

Ele também iniciou a construção do BB8.

Para conferir esse e outros projetos do Humberto, acessa a página: Robótica Manaus.


Fonte: d24am

Compartilhe