sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Trabalhadores de TI de SP ameaçam entrar em greve



(Foto: Reprodução Sindpd) 

Na sexta rodada de negociação entre os dirigentes do Sindpd e do setor patronal (Seprosp), ocorrida nesta quarta-feira (15), não houve acordo em relação ao índice de reajuste salarial. O setor patronal insistiu no fatiamento do reajuste, enquanto o Sindpd manteve a sua posição firme de rechaçar qualquer tentativa de parcelamento e cobrar a correção integral das perdas inflacionárias acrescida de aumento real.

"Eu tenho procurado ser muito claro e quero que vocês entendam isso: com essa perspectiva de parcelamento do reajuste, nós não fecharemos acordo. Eu não vou nem contrapropor essa oferta de vocês, a minha proposta ainda está na mesa: é aumento real mais a inflação do ano", afirmou à comissão patronal o presidente do Sindpd, Antonio Neto.

Principais demandas do Sindpd:

- Reajuste salarial de 8,29% (IPCA de 2016 (6,29%) mais 2% de aumento real);

- Redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais sem diminuição de salários;

- Pagamento de vale-alimentação;

- Vale-refeição de R$ 20 para jornada superior a 6h/dia e R$ 18 para até 6h/dia.

- Pagamento integral de plano médico, hoje custeado em 70% pelos trabalhadores;

- Auxílio-creche de 50% para crianças de até 72 meses;

- Hora extra de 100% nas duas primeiras horas e 150% nas demais e finais de semana;

- Licença-maternidade obrigatória de 180 dias;

- Seguro de vida equivalente a 30 pisos salariais;

- Garantia de reembolso de km para trabalhadores que usam os próprios veículos;

- Pagamento de vale-cultura;

- Custeio de bolsa de estudo para qualificação profissional.

O que propõe o Seprosp:

- Reajuste salarial de 6,29% parcelado em duas vezes (4,4% agora e 1,89% em novembro), além de abono de 5% em agosto;

- Vale-refeição de R$ 17,50;

- Manutenção da jornada de trabalho em 40 horas semanais;

- Redução da multa para empresas que atrasam salários;

- Desobrigação de continuidade da PLR para empresas que já pagam o benefício;

- Desconto do vale-refeição em caso de faltas ou ausências dos trabalhadores;

- Rejeição a todas as demais propostas feitas pelo Sindpd.

Saiba mais em: Sindpd

Compartilhe