Campus Party Bahia

Ads Top

Como a tecnologia pode ser uma importante aliada no combate à violência contra a mulher


Nos últimos anos, o combate à violência tornou um dos assuntos de maior relevância em todos os níveis governamentais, sobretudo, no que diz respeito ao crescimento de casos de crimes contra a mulher. E os números corroboram para esta preocupação.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, a taxa de feminicídios é de 4,8 para 100 mil mulheres – ou seja, a quinta maior no mundo. Já informações do Instituto Patricia Galvão apontam que em 27% destes casos a vítima foi morta por um conhecido.

De acordo com o cofundador da Mooh Tech, Bruno Silva, o poder público vem se empenhando em criar medidas que ajudem a reduzir estes índices cada vez mais alarmantes. “Muita coisa ainda precisa ser feita, seja nas grandes cidades brasileiras, quanto nos municípios do interior, principalmente no que diz respeito ao engajamento da população. E isto é fundamental para ajudar a combater o crime”, complementa.

Entre as diversas ações adotadas, está o uso de ferramentas que contribuem para que a população feminina se previna em relação a ataques como assaltos, assédio, furtos e tentativas de estupro. Uma delas é o aplicativo Sempre Alerta, desenvolvido pela empresa pernambucana Mooh Tech. 

O Sempre Alerta funciona como um chat entre o usuário e uma central de atendimento, controlada pelo órgão responsável pela segurança na região. De forma instantânea, esta central recebe o alerta realizado por mensagens de texto, imagens ou vídeo, similar a outros aplicativos de trocas de mensagens, algo já bem conhecido pela maioria da população. “Este alerta é repassado às unidades destacadas que, por sua vez, averiguam a ocorrência. A localização é feita de forma imediata, via GPS, e o usuário denunciante recebe o retorno em tempo real”, explica Silva.

Ainda de acordo com ele, soluções como o aplicativo contribuem para que as vítimas se sintam encorajadas a denunciar, sobretudo, em casos onde há a iminência de estupros. “Este tipo de crime é o que apresenta a maior taxa de subnotificação no mundo. Isto explica-se pelo fato de que, na maior parte dos casos, as vítimas se sentem constrangidas na hora de efetivar o registro. E, neste contexto, a tecnologia se apresenta como uma importante aliada”, afirma.
  
ATUAÇÃO E RESULTADOS

Por enquanto, o Sempre Alerta está disponível em Belo Jardim, Pesqueira, Lajedo, Sanharó, Poção e Capoeiras, no interior pernambucano. Há planos de expansão para outros estados, entre eles, Alagoas, Bahia e Paraíba. Posteriormente, o aplicativo estará disponível para outras regiões do país e também fora do Brasil, como Espanha, França e alguns países da América do Sul e do continente africano.

Desde agosto de 2016, mês em que foi lançado, já foram realizados, aproximadamente, 19 mil downloads da ferramenta e os resultados já começaram a aparecer. “Até agora, foram abertos cerca de 3 mil casos;  uma ocorrência de estupro está sob investigação (corre em segredo de justiça por se tratar de uma menor de idade); foram evitadas 132 tentativas de assalto e recuperados 223 aparelhos celulares. Além disso,  não houve nenhuma ocorrência de trote, com 100% de aproveitamento nos feedbacks”, informa Silva.

“A tecnologia está redefinindo a infraestrutura das chamadas ‘cidades seguras’, cujos avanços estão transformando as relações entre a sociedade e os responsáveis pela segurança em todo o mundo. É necessário que cada um faça a sua parte. E, neste contexto, é preciso que todos, governos e sociedade, estejam integrados em prol do de um mesmo objetivo, que é a segurança da população”, finaliza Bruno Silva.
Tecnologia do Blogger.